41.3618-9330 | 41. 98798-9125 contato@uroville.com.br Segunda à Sexta-feira | 08h às 18h
Rua Dr. Brasilio Vicente de Castro, 111 -Sala 302 - Ecoville | 81200-526 | Curitiba-PR
41.3618-9330 | 41. 98798-9125 contato@uroville.com.br Segunda à Sexta-feira | 08h às 18h
Rua Dr. Brasilio Vicente de Castro, 111 -Sala 302 - Ecoville | 81200-526 | Curitiba-PR

Vasectomia

Vasectomia

O interesse pela vasectomia, a cirurgia esterilizadora do homem, vem aumentando ano a ano. Esta técnica, realizada por urologistas, cresce em popularidade ao garantir altíssima taxa de sucesso (mais de 99,9%) em impedir novas gestações. Apesar de amplamente difundida, com mais de 500.000 casos realizados nos Estados Unidos anualmente, ela ainda traz algumas dúvidas. Neste conteúdo vamos tentar esclarecer as dúvidas mais comuns e mostrar porque a sua realização é muito segura e praticamente indolor.

 

Quem pode fazer vasectomia?

 

De acordo com a Lei 9.263, que regula o artigo da Constituição Federal que trata do planejamento familiar, todo homem acima de 25 anos ou com pelo menos 2 filhos vivos pode fazer a vasectomia. 

 

Técnica cirúrgica e anestesia

 

A maioria dos urologistas e dos pacientes opta por fazer a cirurgia com uso de anestesia local, o que é muito bem tolerado. Pode-se realizar o procedimento também com uso de sedação ou anestesia geral.

 

Após feita a anestesia, o procedimento cirúrgico consiste em um ou dois pequenos cortes na região escrotal com aproximadamente 5-10mm de extensão, seguido da identificação e ligadura dos ductos deferentes, quando são aplicados fios para interromper o fluxo de espermatozóides. Os ductos deferentes são as estruturas tubulares que saem de ambos os testículos e que são responsáveis por levar os espermatozóides até a próstata e então para o meio externo. Toda a cirurgia é realizada com pinças específicas para uma dissecção cuidadosa, o que evita a eventual lesão de artérias e nervos que estão muito próximos aos ductos deferentes. Com este cuidado, a chance de qualquer sintoma de dor após a cirurgia é diminuída. Trata-se de uma cirurgia bastante delicada, porém em mãos de urologistas com experiência, a duração do procedimento é de aproximadamente 30 minutos.

 

Como fica a ejaculação e a ereção?

 

A ejaculação não fica prejudicada após a cirurgia, visto que a maior parte do líquido seminal provém das vesículas seminais (70-75%) e da próstata (20-25%). O que muda após a cirurgia é apenas a ausência dos espermatozóides no ejaculado, que representam apenas entre 3-5% de todo o volume do esperma. 

 

A ereção não sofre prejuízo algum. Muitos homens relatam ficar mais tranquilos durante a relação sexual após a vasectomia pelo fato de não se preocuparem com o risco de uma gravidez indesejada, o que pode até mesmo melhorar sua performance

 

Os espermatozóides continuam sendo produzidos? 

 

Eles continuam sendo produzidos normalmente e seguem o curso do canal até alcançar o bloqueio imposto pela cirurgia. Quando não passam pela “barreira”, eles acabam morrendo e sendo absorvidos pelo corpo. Durante as primeiras ejaculações após a cirurgia ainda existem espermatozoides circulando. Portanto, é orientada a realização de exame de espermograma antes de voltar a ter relação sexual sem proteção, geralmente após 60 dias.

 

Qual é o período de recuperação

 

Seguindo os cuidados que são orientados, geralmente após uma semana o paciente está apto a fazer praticamente tudo o que fazia antes do procedimento.

 

Posso me arrepender? Como reverter?

 

O desejo de reverter o procedimento pode acontecer em qualquer momento após a sua realização. Estudos mostram que aproximadamente 6% dos homens acabam desejando recuperar a sua capacidade de reprodução. A cirurgia de reversão tem boa taxa de sucesso em mãos experientes, mas não é tão simples e nem tão garantida quanto a vasectomia. Deseja mais informações sobre a reversão de vasectomia? Acesse o conteúdo específico sobre o tema aqui.

 

Dúvidas quanto à vasectomia? Nós vamos te ajudar! Agende uma consulta.