41.3618-9330 | 41. 98798-9125 contato@uroville.com.br Segunda à Sexta-feira | 08h às 18h
Rua Dr. Brasilio Vicente de Castro, 111 -Sala 302 - Ecoville | 81200-526 | Curitiba-PR
41.3618-9330 | 41. 98798-9125 contato@uroville.com.br Segunda à Sexta-feira | 08h às 18h
Rua Dr. Brasilio Vicente de Castro, 111 -Sala 302 - Ecoville | 81200-526 | Curitiba-PR

Tratamentos para Câncer de Rim

Tratamentos para Câncer de Rim

O tratamento de escolha para os tumores renais malignos e localizados, diagnosticados por exames de imagem, é a cirurgia minimamente invasiva.

 

O ideal é que possamos submeter o paciente à NEFRECTOMIA PARCIAL, ou seja, à retirada apenas do nódulo ou de apenas parte do rim. Com esta técnica, é possível preservar todo o restante do rim acometido com grande segurança, a fim de preservar a função renal global. A tática de escolha é a NEFRECTOMIA PARCIAL ROBÓTICA. Com o auxílio da plataforma robótica DaVinci, é possível ter controle mais refinado dos movimentos, mais acurácia na excisão, proporcionando ao paciente um procedimento com maior precisão. Através da técnica robótica, tornou-se possível a excisão de massas grandes, maiores de 4 cm de diâmetro, com precisão e segurança. A Nefrectomia Parcial Laparoscópica pura também é uma opção minimamente invasiva com bons resultados para massas menores.

 

Para os tumores maiores, ou os tumores que invadem o seio renal e se aproximam muito do centro do rim e dos vasos renais, a indicação é a retirada completa do rim através da NEFRECTOMIA RADICAL. Mesmo em situações em que há a presença de grandes tumores renais, é possível ponderar sobre o uso da CIRURGIA ROBÓTICA ou até mesmo da Laparoscopia para o tratamento cirúrgico.

 

Grande parte dos pacientes não necessita de nenhum tratamento após a cirurgia. O estágio do tumor, principalmente em relação ao seu tamanho e ao grau de diferenciação, é o fator que mais determina o sucesso do tratamento.

 

Grandes massas renais, ou tumores muito grandes que apresentam metástase para os vasos renais, tendem a ser tratados através da cirurgia aberta convencional. Poucos casos individualmente selecionados podem eventualmente ser submetidos à cirurgia minimamente invasiva.

 

Tumores renais metastáticos devem ser tratados de maneira multidisciplinar, pois os pacientes podem necessitar de terapias sistêmicas (quimioterapia, terapia com droga alvo) isoladas ou associadas com cirurgias citorredutoras.

NEFRECTOMIA PARCIAL ROBÓTICA

Especialistas na função e doenças dos rins, os nefrologistas e urologistas concordam que a preservação do tecido renal sem doença é de suma importância para a vida a longo prazo dos pacientes. Não somente porque há diminuição do risco de insuficiência renal a longo prazo, mas porque possibilita uma melhor saúde em outros aspectos, como por exemplo em prevenir doenças cardiovasculares. 

 

São vantagens da cirurgia robótica para o tumor de rim:

  • Menor risco de infecção.
  • Menor risco de sangramento.
  • Diminuição da dor no pós operatório.
  • Possibilidade de retirar tumores complexos com delicadeza e precisão.
  • Aumenta a chance de preservação do tecido renal sem doença e da função renal.
  • Retomada da vida normal mais rapidamente.

 

Qual é o tumor certo para ser tratado através da cirurgia robótica?

Pacientes candidatos à nefrectomia parcial robótica são aqueles cujos tumores têm menos de 4 cm no maior eixo, preferencialmente. De qualquer maneira, tumores entre 4-7 cm podem ser tratados com nefrectomía parcial robótica se eles estiverem localizados em áreas específicas.

Cada caso deve ser analisado individualmente pelo cirurgião para que a melhor alternativa terapêutica possa ser indicada. Por vezes, tumores muito grandes impossibilitam a retirada apenas da lesão, sendo necessária a retirada do rim inteiro. Para esses casos, a nefrectomia radical laparoscópica pode ser uma opção viável.

 

O que acontece durante a cirurgia de nefrectomia parcial robótica?

A anestesia utilizada rotineiramente é a anestesia geral. Atualmente extremamente segura, esta anestesia possibilita a realização da cirurgia minimamente invasiva. 

O paciente é colocado em posição lateralizada, com o lado do rim a ser operado para cima. Coxins cirúrgicos, pads de espuma são colocados para proporcionar a proteção dos braços, dorso e pernas.

Através de pequenas incisões na barriga, os instrumentos cirúrgicos são acoplados ao paciente. O abdome é insuflado com gás carbônico, o que proporciona o espaço para a movimentação dos braços robóticos e o acesso da câmera 3D ao tecido renal.

Neste momento o cirurgião dirige-se à estação de controle (console). Através do comando do cirurgião, os braços robóticos dissecam o rim e o tumor. Com um clamp vascular específico, a circulação de sangue no rim é interrompida, possibilitando uma excisão do tumor muito segura e eficiente. A sutura do parênquima renal remanescente é realizada usufruindo de toda a flexibilidade dos braços robóticos, possibilitando um excelente controle de sangramento e preservação do tecido renal. Através dos instrumentos robóticos, todos os movimentos (tesoura, sutura, dissecção) são filtrados para imperfeições através de mais de 1000 checagens por segundo, proporcionando um movimento fluido e muitíssimo preciso. Se possível, fios de sutura “inteligentes” podem ser empregados para manter a força de tensão da sutura. Estes fios contêm pequenas rebarbas que funcionam como pequenas âncoras, fixando o tecido suturado e evitando que os pontos fiquem frouxos. O cirurgião, caso ache necessário, pode utilizar agentes hemostáticos específicos, para proporcionar um controle de sangramento ainda maior.

Após a retirada da peça cirúrgica em uma bolsa plástica específica para este fim, o gás carbônico é aspirado da cavidade abdominal e as pinças robóticas retiradas. A sutura da pele é feita com fios absorvíveis. Geralmente, a cirurgia minimamente invasiva proporciona que o paciente receba alta dentro de 24hs do término da cirurgia.

 

Quais os riscos da nefrectomia parcial robótica?

A cirurgia robótica não é isenta de riscos, porém estes são similares ou menores do que as abordagens tradicionais. Cada caso deve ser avaliado individualmente em relação aos riscos. Converse com seu cirurgião a respeito.

 

A cirurgia robótica é a abordagem mais certa para o meu caso?

Lembre-se, a técnica robótica não é uma opção para todos os casos de câncer de rim. Converse com seu médico sobre os benefícios e riscos da cirurgia robótica e como ela pode ser a técnica certa para o seu caso.

 

ASSISTA AO VÍDEO E SAIBA MAIS SOBRE NEFRECTOMIA PARCIAL ROBÓTICA – CLIQUE AQUI

 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA

No texto que você acabou de ler acima você encontrou detalhes sobre todos os aspectos da cirurgia de nefrectomia parcial robótica. Este conteúdo, que contém dados extraídos de instituições de referência*, da literatura médica e de experiência própria, tem a finalidade de servir como uma introdução ao tema. São informações gerais, bastante comuns aos casos que operamos. Para informações mais precisas e individualizadas para o seu caso, agende uma consulta.

 

*Este texto cita dados fornecidos pela Mayo Clinic (www.mayoclinic.org), Intuitive Surgical (www.intuitive.com), University of California San Fransisco – UCSF (www.ucsf.edu).