41.3618-9330 | 41. 98798-9125 contato@uroville.com.br Segunda à Sexta-feira | 08h às 18h
Rua Dr. Brasilio Vicente de Castro, 111 -Sala 302 - Ecoville | 81200-526 | Curitiba-PR
41.3618-9330 | 41. 98798-9125 contato@uroville.com.br Segunda à Sexta-feira | 08h às 18h
Rua Dr. Brasilio Vicente de Castro, 111 -Sala 302 - Ecoville | 81200-526 | Curitiba-PR

Estudo Urodinâmico

Estudo Urodinâmico

A urodinâmica é o melhor exame para avaliar o funcionamento da bexiga, dos esfíncteres e da uretra. O estudo simula o enchimento e o esvaziamento vesical e, com isso, conseguimos avaliar alguns parâmetros, como a capacidade vesical, as perdas involuntárias, a sensação iminente de urinar e a dificuldade de esvaziamento.

 

Quais são os sinônimos de Estudo Urodinâmico?

 

Na literatura e na prática médica, este exame pode ser chamado de várias maneiras, como por exemplo:

  • Avaliação Urodinâmica
  • Estudo Urodinâmico
  • Exame Urodinâmico
  • Teste Urodinâmico
  • Urodinâmica completa

 

Quem costuma pedir este exame?

 

A urodinâmica pode ser solicitado por qualquer médico, porém algumas especialidades solicitam com mais frequência. São elas: a UROLOGIA, a GINECOLOGIA, a CIRURGIA PEDIÁTRICA, a NEUROLOGIA e a NEFROLOGIA.

 

Quem precisa fazer este exame?

 

Qualquer paciente que possua uma disfunção miccional, ou seja, alterações na hora de encher ou esvaziar a bexiga, são candidatos ao exame.

Alguns exemplos:

  • Pré-operatório de cirurgias para incontinência urinária feminina
  • Incontinências urinárias recidivadas
  • Presença de sintomas irritativos da bexiga (urgência para urinar, levantar à noite, perdas involuntárias, dor em baixo ventre, ardor)
  • Dificuldade para esvaziar a bexiga (jato fino, esvaziamento incompleto, gotejamento terminal, jato intercortado)
  • Histórico de cirurgias para câncer ginecológico ou do intestino associado a sintomas urinários
  • Após radioterapia pélvica
  • Infecção urinária de repetição, aparente sem causa 
  • Doenças neurológicas (ex. diabetes, traumas na coluna, hérnias de disco, AVCs, demência Crianças portadoras de bexiga neurogênica (ex. meningomielocele, paralisia cerebral) ou de doenças do trato urinário (ex. extrofia de bexiga, válvula de uretra posterior, refluxo vesico-ureteral)

 

Como é feito o exame?

 

O exame é divido em três fases e tem a duração de, em média, 30 minutos.

 

  • Urofluxometria livre: nessa primeira etapa, o paciente com a bexiga cheia, irá se posicionar da maneira como urina habitualmente (sentado ou em pé) em nosso aparelho, sem sondas. O objetivo é avaliar o volume urinado, a velocidade do fluxo e o resíduo miccional
  • Cistometria: nessa segunda etapa, é introduzido uma sonda pelo canal da urinar e uma pelo ânus e, o paciente retorna à máquina. Nesse momento começa-se a infundir soro na bexiga, simulando seu enchimento. O paciente deverá informar quando está com vontade de urinar, caso perca urina ou caso sinta algum desconforto. Em caso de mulheres, pede-se também para realizar tosse ou uma pressão no abdome, para avaliar se há perdas.
  • Estudo fluxo-pressão + eletroneuromiografia: última parte do exame, autoriza-se o paciente, já com a bexiga cheia, a esvaziá-la. Nesse momento, podemos avaliar a velocidade do fluxo, a pressão exercida pela bexiga, o relaxamento dos músculos do assoalho pélvico, entre outros parâmetros.

 

Quais são os preparos antes do exame?

 

Como a primeira parte do exame é a urofluxometria livre, é necessário comparecer ao procedimento com a bexiga confortavelmente cheia. Orienta-se ainda o paciente a trazer o exame de urina mais recente.

Não é necessário jejum e o paciente deve usar seus medicamentos diários normalmente (ex. diabetes, próstata, hipertensão)

Para as mulheres, pede-se a raspagem dos pelos da região íntima.

 

O exame dói?

 

Não. O exame possui apena o desconforto da passagem das sondas no canal da urina e do intestino, porém costumam ser bem tolerados e causam um baixo desconforto.

 

Quais são os cuidados necessários após o exame?

 

Como é necessário passar uma sonda pelo canal da uretra, é possível que ocorra ardor para urinar nos dias seguintes, assim como pequenos sangramentos. Para diminuir esses sintomas, orienta-se beber muita água e urinar a cada 3 horas, nos dias conseguintes.

O risco de infecção urinária é pequeno (<1%), porém, em caso de febre ou persistência do ardor, deve-se procurar seu médico.

 

É possível fazer este exame no Uroville?

 

As consultas com os urologistas são realizadas no Uroville. Já o exame é realizado pela médica Urologista Dra. Camila Burity, no Instituto de Neurologia de Curitiba – Setor da Endoscopia.

Rua Jeremias Maciel Peretto, nº 300, Campo Comprido, Curitiba, PR.

 

Entre em contato conosco para agendar seu exame.